segunda-feira, 14 de novembro de 2005

O Mundo de Sofia - sobre a vida e o mundo

Olá,
sim, estou postando num domingo par segunda. Amanhã não trabalho, minha mãe estava na Internet (estamos em um tempo onde as mães estão aprendendo a usar a Internet, maravilha!), e resolvi escrever aqui.
Ando lendo um livro: O Mundo de Sofia. Estou adorando. Fala muito sobre filosofia (é o tema principal), mas através de uma história, uma narrativa agradável, leve. Muito bom. E abre os pensamentos da gente. Nos faz pensar além. Para vermos que não é só a Lógica fixa das Engenharias ou Matemáticas (e disso posso falar com conhecimento de causa) que nos abre a mente e as capacidades de raciocínio lógico.
Também visitei hoje meu blog antigo, e estive lendo alguns posts antigos. Fiquei pensando em como a gente muda com o tempo, aprende a superar as dificuldades, se adaptar às novas possibilidades, e acaba se transformando. Sem dúvida hoje sou bem diferente daquela menina que escrevia no blog anterior. Aquela menina estava em uma fase difícil. Ela não sabia quem era ela, não sabia quem eram as pessoas que amava, não conhecia seu papel no mundo e nem para si mesma. A menina que escreve neste blog hoje, apesar de ainda permanecer com a maioria das características da anterior, "sofreu" algumas mudanças. Hoje, graças a Deus, essa menina sabe do que gosta, sabe de quem gosta. Aprendeu a se amar muito e se cuidar em primeiro lugar. Aprendeu que sim, ela é amável, e é agradável estar com ela (por isso, ela tem aprendido a superar o fato de que nenhum amigo sobrou na empresa onde trabalha, e por isso tem de almoçar sozinha quase sempre). Eu tenho passado tempo de qualidade sozinha e, apesar de ainda reclamar muito quando Ximbico não pode me ver, isso me afeta bem menos. Na verdade, ultimamente eu reclamo pois acho que ele está trabalhando demais e porque não gosto quando combino algo com alguém e a pessoa tem de desmarcar por vezes seguidas. É o que tem acontecido. Mas, como disse, isso tem me afetado bem menos. Quando ele dizia que não poderia me ver, eu ficava atônita e não sabia o que fazer. Hoje, eu tenho minhas coisas. Se ele não pode me ver, fico na empresa até mais tarde aprendendo uma nova linguagem de programação, vou para casa fazer tricô, ou simplesmente vou dar uma volta no Shopping, vou ao cinema (não pode ser tão ruim assim ir ao cinema sozinha), mas não me deixo abater tão fácil. E tem também a academia, com muitas atividades diferentes que posso praticar sempre e que, ainda por cima, fazem bem ao meu corpo, à minha mente, etc. Acho que ainda falta muito, tenho um longo caminho a percorrer na luta contra meu vício (síndrome de "Felícia", conhece? Aquela menininha dos Animaniacs... prazer, sou eu!), mas acho que em comparação ao que era antes, estou bem, bem, bem melhor. Mas também se alguém não pensar assim, azar, porque eu penso e só Deus me conhece e pode me avaliar melhor do que eu mesma.
Todos os dias eu visito os blogs dos meus "Favoritos" (que, aliás, preciso atualizar, estão faltando um monte que tenho visitado ultimamente"). Faço amigas, amigos, falo sobre tricot, falo sobre a vida, mando e recebo e-mails, participo de grupos, dou e peço opiniões, enfim... tenho vida social, mesmo que virtual. Isso faz um bem danado. É maravilhoso abrir sua caixa postal num domingo de madrugada e descobrir um e-mail enorme de uma querida amiga que você acabou de fazer pela internet, explicando tudo que você possa querer saber a respeito de criação de blusas de frio (ou pull, como eu não acostumo mesmo chamar, rs). É maravilhoso poder dizer: "hoje recebi um e-mail de uma amiga de Portugal". É muito bom e acho que isso tem me feito muito bem. Tanto para mim, como indivíduo, como para mim como companheira do Paulo (Ximbico, Namorado, e sinônimos...). É bom se sentir querida, é bom ver que as pessoas lêem o que eu escrevo. Como fiquei contente quando vi que o contador de acessos estava em +- 200 na sexta e hoje está em mais de 280! Bom demais!
Não é que eu queira audiência. Não é que seja "aparecida". Mas todo mundo gosta de atenção. E ultimamente, eu que perdi (fui afastada de) todos os amigos próximos que tinha, ando precisando disso... infelizmente, a gente quase não tem tempo de estar perto dos amigos... por isso, esse blog tem me feito tanto bem. Tem me dado novos amigos que, apesar de eu encontrar virtualmente, certamente têm um rosto, têm mentes, corações, pensamentos. É bom demais saber que alguém está pensando em você, mesmo que por um minutinho, enquanto lê o que você escreveu. Bom demais receber um e-mail com tanto carinho, cheio de dicas e de conselhos. É bom demais quando você pode sentir amor e carinho nas palavras escritas de longe. Ternura. Acho que essa é minha palavra-chave hoje.
Até com Mãe as coisas estão melhores. Ela está me tratando muito bem. Hoje levei-a a alguns lugares de construção, pois ela estava sem carro. Ela tem admirado meus trabalhos em tricô (pode ver aí por abaixo, nas fotos do xale, em que ela posa forçada), gostou muito da blusa que estou fazendo para Ximbico, com três tranças (fotos seguem logo após o feriado, subir fotos por conexão discada, no way...), fez massagem em minhas mãos hoje, quando estavam doendo bastante, colocou minhas pernas em seu colo... novamente... Ternura...
Agora, ela ronca "docemente" aqui no quarto ao lado... enquanto eu surro o teclado e, brevemente, ela virá para me mandar dormir e dizer que isso não são horas de ficar ao computador... no que ela tem total razão, diga-se de passagem. Mas sabe quando você sente que não quer dormir? Que o dia ainda não terminou, que você quer um pouco mais? Eu quero um pouco mais, quero ainda ter alguns e-mails para ler, algumas palavras para falar. Queria dar um "boa-noite" especial a Ximbico mas, quando liguei, já era tarde demais, ele estava semi-adormecido, em "modo automático" (isto é, quando digo, te amo, ele diz, eu também, quando digo boa noite, ele diz, eu também, e quando digo, a que horas você terá de acordar amanhã, ele diz "eu também", rs) mas mesmo assim fiquei feliz de poder falar com ele antes de dormir. Eu amo dormir, mas às vezes acho uma grande perda de tempo. Como hoje, por exemplo.
Ah, eu faço aniversário no dia 29 deste mês. Fiquei tão feliz, pois vamos fazer um almoço para comemorar com meus amigos da Comunidade, na casa de um amigo da Comunidade (o que mais tenho/temos afinidade), vai ser bem legal. Um jeito diferente de comemorar o aniversário. Pelo menos, diferente dos outros anos. E uma coisa muitíssimo importante: este ano, certamente, Ximbico não precisará viajar bem no dia do meu aniversário. Muito importante isso. Estão começando os preparativos para o referido almoço. Ói qui até convite em flash vai ter, seu moço! Sou ou não sou uma menina versátil, hem? rs Eu gosto de programar. Falando nisso, preciso tomar vergonha e deixar esse blog mais com a minha cara. Mas, certamente, não vai ser hoje. Agora, vou subir para o meu quarto, e dormir assistindo à minha nova televisão (assunto para o próximo post). Fazer o que, né? Tem de dormir...
Beijinhos e até.
Ps.: agora, os "doces" roncos de minha mãe se juntaram aos "sonoros" roncos do meu pai. Acho que já sei de onde vêm as rachaduras no teto do quarto deles. Acho que eles estão quase hibernando. Lembra daquele urso do desenho do Pica-Pau, que hibernava? E o urso caía no gelo e não acordava, derrubavam ele da árvore e ele não acordava, uma banda tocava ao lado dele e ele não acordava... sabe? Então... aqueles ursos são os meus pais...

2 comentários:

Concessimus Litteras Sigilli Nostri disse...

E muito bom ler o que você escreve, a honestidade dos sentimentos e a atenção especial aos detalhes, confesso que encontrei seu blog por acaso, vejo vários blogs e como de costume não deixo comentários (tal coisa para um blogueiro e o fim), mas quando li um post seu agradecendo as visitas daqueles que nem sequer comentaram e ainda por cima escrevendo em inglês pelo simples fato de ter recebido visitas desses, me chamou a atenção, percebi que era uma pessoa especial. O resto da historia você já sabe só não faço comentários quando o assunto e tricô porque apesar de achar legal, não entendo nada sobre o assunto.
Hoje me senti com 18 anos, e derrepente me deu uma saudade danada dos roncos de meu Pai.

Bjos

Flávio Brasília - DF

Elvis Lima disse...

Uma boa vida a todos,
Hoje resolvi buscar na internet um texto que fale sobre "A Vida e o Mundo", encontrei esse post neste blog que me dá exatamente o que eu quero. Trabalho em uma empresa à 3 anos e com a Graça de Deus venho crescendo dentro dela, desde quando entrei aqui uma senhora (prestadora de outra empresa de limpeza) faz todos os dias as mesmas coisas. Estive conversando com ela esses dias atrás e me contou que tem mais de seis anos que trabalha duro todos os dias. Ela é uma pessoa simples, não teve muitas oportunidades na vida, vive quase sem expectativa de melhoras. Resolvi então que tenho que “fazer parte da vida dela”, não como quem mostra o caminho, mas com quem dá as pistas para que o encontre. Então tenho colecionado textos motivacionais, matérias para leitura, e textos que possam abrir o caminho da mente. Ela parece que se fechou pro mundo dela e não espera que as coisas mudem, mas que sabe nossa amizade mostre a ela que a virada é possível. Vou começar entregando esses textos incentivando a leitura com textos tirados de blogs (esse será o primeiro), livros de romance, etc... vou tentar identificar suas dificuldades de leitura e interpretações. Depois disso irei ensiná-la nos seus horários vagos como operar um computador da forma mais simples e objetiva. Vou tentar mostrar que as dificuldades servem não para acostumarmos com elas, mas sim para nos instigar a encontrar novos caminhos melhores. Conversei com meu diretor e ele se interessou também. Acho que se tudo der certo, ela terá conseguido alcançar o mais importante de tudo, acreditar em si mesma!

Um abraço a todos.

Elvis Lima
Goiânia-GO